Como não Perder a Cabeça – Auto-educação Clássica contra a Doutrinação Cultural – Deal Wyatt Hudson

Como não perder a cabeça - auto-educação clássica contra a doutrinação cultural - Deal Wyatt HudsonO que eu chamo de “perder a cabeça” não se refere àqueles momentos em que, enfurecidos, perdemos as estribeiras; trata-se de perder a cabeça para uma mentira. Foi uma simples pergunta de meu professor, quando eu era jovem, o que me induziu a refletir sobre os mistérios da existência, e a curiosidade estimulada por meu encontro com Sócrates e Platão deu início a uma jornada que se tornou minha carreira. Meu objetivo com este livro é transmitir essa experiência.

As obras clássicas, seja um livro, um filme ou uma sinfonia, são agentes do maravilhoso — elas incendeiam a mente e o coração. Não estou interessado em ajudá-lo a riscar os clássicos de uma lista ou melhor prepará-lo para fazer citações em público. Não estou lhe entregando uma lista de “leituras obrigatórias”, um dos termos mais irritantes do cenário moderno dominado pela mídia. Uma jornada educacional não deve parecer uma tarefa árdua ou imposta desde cima. O que queremos é recuperar a marca primordial de uma pessoa educada, sua liberdade de pensar. Ao longo do caminho, expurgaremos os jargões, preconceitos e idéias pós-modernas que a cultura contemporânea impôs a nós.

Sobre o autor

Deal W. Hudson (1949–) nasceu em Denver, no Colorado. No ensino médio, além de capitão do time de golfe e editor de uma revista literária, o Dr. Hudson desempenhou o papel de Peter em O diário de Anne Frank. Foi limpando o palco após os ensaios que o zelador de seu colégio lhe apresentou os diálogos de Platão, o que mudou para sempre o rumo de sua vida. Formou-se cum laude na Universidade do Texas em 1971, com especialização em filosofia e títulos adicionais em clássicos e literatura inglesa. Também formou-se magister divinitatis no Princeton Theological Seminary, e ali fundou e liderou a União de Estudantes Batistas. Recebeu o Ph.D. no Instituto de Artes Liberais da Universidade Emory. Em 1984 converteu-se à Igreja Católica. Foi presidente da American Maritain Association (1988–1995), membro do comitê executivo da American Catholic Philosophical Association, e o primeiro “Mortimer J. Adler Fellow” no Aspen Institute, onde trabalhou entre 1991 e 1993. Foi editor da Crisis Magazine, e presidente da Catholic Advocate (organização que fundou para formar eleitores católicos para a participação política). Em 2014 deu início ao programa de rádio “Church and Culture”. Vive atualmente com a família em Fairfax, na Virgínia.

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *