Os demônios – Fiódor Dostoiévski

Os demônios - Fiódor DostoiévskiMotivado por um episódio verídico – o assassinato do estudante I. I. Ivanov pelo grupo niilista liderado por S. G. Nietcháiev em 1869 -, Os demônios, escrito no ano seguinte, é a única obra de Dostoiévski concebida com fins assumidamente panfletários. Entretanto, ao recriar ficcionalmente aquele evento, o escritor acabou compondo uma obra-prima à altura de Crime e castigo e Os irmãos Karamázov, que é também um estudo em profundidade do pensamento político, social, filosófico e religioso de seu tempo.

Com incrível lucidez e rara compreensão da história, este romance – pela primeira vez traduzido a partir do original russo – chega a ser profético. Nele o leitor poderá vislumbrar, no drama intelectual de Kiríllov, a antecipação do Zaratustra de Nietzsche, e, nas ideias de Chigalióv e Piotr Stiepánovitch, os cruéis fanatismos de Hitler e Stálin. Numa época em que a violência, a ignorância, o terrorismo e a impostura ideológica – verdadeiros demônios que assolaram o século XX – continuam vivos sob novos disfarces, este é um livro de impressionante atualidade.

Sobre o autor

Fiódor Mikháilovitch Dostoiévski nasceu em Moscou em 1821, e estreou na literatura com o romance Gente pobre, em 1846, ao qual se seguiram O duplo (1846) e Noites brancas (1847), entre outros. Após ser preso e condenado à morte pelo regime tsarista em 1849, teve sua pena comutada para quatro anos de trabalhos forçados na Sibéria, experiência retratada em Escritos da casa morta, livro que começou a ser publicado em 1860, um ano antes de Humilhados e ofendidos. Após esse período, escreve Memórias do subsolo (1864), Um jogador (1867), O eterno marido (1870) e uma sequência de grandes romances, Crime e castigo (1866), O idiota (1869), Os demônios (1872) e O adolescente (1875), culminando com a publicação de Os irmãos Karamázov em 1880. De 1873 até o ano de sua morte publicou ainda o Diário de um escritor, reunindo peças jornalísticas e de ficção. Reconhecido como um dos maiores autores de todos os tempos, Dostoiévski morreu em São Petersburgo, em 1881.

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *