O Trabalho Intelectual e a Vontade – Jules Payot

O Trabalho Intelectual e a Vontade - Jules Payot Existem, também no trabalho intelectual, métodos e ferramentas que expandem a eficácia do espírito, assim como a alavanca multiplica a força de nossos músculos, ou como o telescópio amplia o alcance da visão. Existe uma perfeição técnica, obtida através da adaptação inteligente da energia às leis da memória, da atenção e às leis que regulam a energia corporal. A arte de aprender é a arte de saber obedecer às leis do espírito e do corpo.

Contudo, obedecer a leis inelutáveis é um sacrifício para nossa preguiça, para nossa vaidade, para nossa necessidade de atividade anárquica. Temos todos a vã esperança de que para nós essas leis não valerão. Portanto, preferimos deixar que as coisas aconteçam e que nosso desenvolvimento intelectual se dê aleatoriamente. Vivemos sob o regime do acaso. Nossas idéias se associam segundo suas atrações próprias, ao sabor da fantasia, e essa vida intelectual não passa de um devaneio ligeiramente coerente.

É para tornar seu trabalho mais prazeroso, mais fácil, mais fecundo — evitando que desperdicem suas energias — que lhes oferecemos este manual de aprendizado do trabalho intelectual.

Sobre o autor

Jules Payot foi pedagogo e acadêmico francês. Nascido em 1859 em Chamonix, faleceu em 1940 na mesma comuna francesa. Em 1907 foi nomeado reitor das universidades de Chambéry e de Aix-en-Provence. “A educação da vontade”, publicado em 1894, foi traduzido em 32 línguas, e este complemento o autor escreveu durante a Primeira Guerra, entre 1914 e 1919. Publicou também outros livros sobre filosofia moral e educação, como “L’apprentissage de l’art d’écrire” e “Autorité et discipline en matière d’éducation”. Admirador da doutrina psicológica da Igreja Católica, era, entretanto, um apologista da educação laica.

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *