Contos reunidos – Fiódor Dostoiévski

Contos Reunidos - Fiódor DostoiévskiEsta coletânea reúne o conjunto de 28 contos de Fiódor Dostoiévski (1821-1881), do primeiro ao último ano de sua trajetória como escritor, todos eles em traduções diretas do russo. Projeto único em se tratando deste autor, e procurando ser fiel ao espírito de sua obra, foi utilizada aqui uma concepção ampla de “conto”, que inclui também breves novelas, narrativas autônomas dentro de romances e peças jornalísticas com viés ficcional.

Do amplo grupo de textos, dos quais vários são absolutamente inéditos no Brasil, assoma uma visão renovada da obra do grande escritor russo – que colhia seu material em polêmicas literárias e políticas, em notícias do cotidiano e em suas próprias reflexões como “publicista” formador de opinião na sociedade russa, utilizando a narrativa curta como um verdadeiro laboratório de criação, inclusive para seus grandes romances, de Crime e castigo (1866) a Os irmãos Karamazov (1880).

Além dos contos mais conhecidos do início de carreira, como “O senhor Prokhártchin”, “Romance em nove cartas” e “Uma árvore de Natal e um casamento”, destaca-se na coletânea a primeira narrativa breve publicada pelo autor, “Como é perigoso entregar-se a sonhos de vaidade” (1846), o conjunto de textos de ficção publicados em Diário de um escritor (periódico editado pelo próprio Dostoiévski entre 1873 e 1881), além das duas versões de “A mulher de outro e o marido debaixo da cama” e “O ladrão honrado” (1848 e 1860).

O volume inclui ainda um belo texto de apresentação de Fátima Bianchi, da Universidade de São Paulo, que analisa a importância das narrativas curtas na obra de Dostoiévski, e uma cronologia detalhada da vida do escritor, mapeando a produção de cada um de seus contos, novelas e romances.

Sobre o autor

Fiódor Mikháilovitch Dostoiévski nasceu em Moscou em 1821, e estreou na literatura com o romance Gente pobre, em 1846, ao qual se seguiram O duplo (1846) e Noites brancas (1847), entre outros. Após ser preso e condenado à morte pelo regime tsarista em 1849, teve sua pena comutada para quatro anos de trabalhos forçados na Sibéria, experiência retratada em Escritos da casa morta, livro que começou a ser publicado em 1860, um ano antes de Humilhados e ofendidos. Após esse período, escreve Memórias do subsolo (1864), Um jogador (1867), O eterno marido (1870) e uma sequência de grandes romances, Crime e castigo (1866), O idiota (1869), Os demônios (1872) e O adolescente (1875), culminando com a publicação de Os irmãos Karamázov em 1880. De 1873 até o ano de sua morte publicou ainda o Diário de um escritor, reunindo peças jornalísticas e de ficção. Reconhecido como um dos maiores autores de todos os tempos, Dostoiévski morreu em São Petersburgo, em 1881.

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *