Constituição De Atenas – Aristóteles

Constituição De Atenas - AristótelesEsta obra contém não apenas a história política de Atenas, como também a descrição pormenorizada dos principais elementos do sistema político que vigorou a partir da restauração da Constituição democrática após a queda dos Trinta Tiranos (403 a.C.), um ano após o fim da Guerra do Peloponeso, com a rendição de Atenas a Esparta. A Constituição de Atenas, descoberta apenas em 1880, é uma obra política excepcionalmente valiosa e singular: primeiro, porque – o que é paradoxal, porém sumamente positivo – não foi escrita por um historiador, mas por um filósofo (que como tal não se limita ao relato, ainda que exaustivo, dos fatos); segundo, porque o autor trata de uma história para ele muito recente e de um sistema político sob o qual ele próprio vivia.

Sobre o autor

Aristóteles (384 a.C. – 322 a.C.) foi um importante filósofo grego, aluno de Platão e professor de Alexandre, o Grande. Seus escritos abrangem diversos assuntos, como a física, a metafísica, a poesia, o teatro, a música, a lógica, a retórica, o governo, a ética, a biologia e a zoologia. Com Platão e Sócrates (professor de Platão), Aristóteles é visto como uma das figuras mais importantes e um dos fundadores da filosofia ocidental. Seu ponto de vista sobre as ciências físicas influenciou profundamente o cenário intelectual e medieval e esteve presente até o Renascimento. Nas ciências biológicas, a precisão de algumas de suas observações foi confirmada apenas no século XIX. Suas obras contêm o primeiro estudo formal conhecido da lógica. Na metafísica, o aristotelismo teve uma influência profunda no pensamento filosófico e teológico. Todos os aspectos da filosofia de Aristóteles continuam a ser objeto de um ativo estudo acadêmico nos dias de hoje.

Veja Também

Compartilhe

Comentários

Nenhum Comentário Ainda

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *