Retratos e Leituras – Otto Maria Carpeaux

Retratos e Leituras - Otto Maria CarpeauxRetratos e Leituras é o quarto livro escrito por Otto Maria Carpeaux no Brasil. A primeira edição foi publicada em 1953. Neste livro, mais uma vez, encontramos o grande crítico literário numa grande performance e na sua maior capacidade analítica, discutindo autores tais como Rilke, Baudelaire, Francisco Ayala, James Joyce, Friedriech Wilhelm Foerster, Jonathan Swift, Alexandro Mansoni, Lionel Trilling, E.M. Forster, entre outros. Nos vinte ensaios que compõem este livro, Otto Maria Carpeaux apresenta assuntos e livros variados e o faz sempre com sua prosa deliciosa, e elegante, a qual, sem dúvida o qualifica entre os grandes escritores da língua portuguesa no Brasil. Relatos e Leitura é mais um tesouro de alta cultura e erudição legado por Otto Maria Carpeaux aos leitores brasileiros.

Sobre o autor

OTTO MARIA CARPEAUX (1900–1978), foi um jornalista, ensaísta e crítico literário austríaco naturalizado brasileiro. Nascido Otto Karpfen, filho de pai judeu e mãe católica, estudou Direito e Filosofia em Viena, Ciências matemáticas em Leipzig, Sociologia em Paris, Literatura comparada em Nápoles e Política em Berlim, além de doutorar-se em Letras e Filosofia na Universidade de Viena. Diante da ascensão de Hitler, combateu a ideologia nazista e a anexação da Áustria pela Alemanha, especialmente em seus livros e em seus artigos para a revista Der Christliche Ständestaat. Em 1938, após a invasão alemã, foi obrigado a refugiar-se, primeiro na Bélgica e, no ano seguinte, no Brasil. Conhecedor de mais de dez línguas, não demorou para dominar a língua portuguesa e firmar-se na imprensa local. O reconhecimento veio logo com os primeiros livros: A cinza do Purgatório (1942), Origens e fins (1943), Perguntas e respostas (1953), Retratos e leituras (1953) e Pequena bibliografia crítica da literatura brasileira (1955). Aclamado por nomes como Aurélio Buarque de Holanda, Graciliano Ramos, Álvaro Lins e Carlos Drummond de Andrade, começou a publicação de sua obra-prima História da literatura ocidental (1958-66), seguida por Uma nova história da música (1958), Presenças (1958), Livros na mesa (1960) e A literatura alemã (1964). Em 1968, deu por encerrada sua carreira literária, para se dedicar unicamente à luta política. Publicou também: O Brasil no espelho do mundo (1965), A batalha da América Latina (1966), As revoltas modernistas na literatura (1968), 25 anos de literatura (1968), Hemingway (1971) e Alceu Amoroso Lima (1978), além de prefácios, introduções, verbetes de enciclopédia. É considerado um dos maiores críticos literários brasileiros, tendo influenciado toda a sua geração de intelectuais e escritores.

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *