Renascença e Reforma – História das Ideias Políticas – Vol. IV – Eric Voegelin

Renascença e Reforma - História das Ideias Políticas - Vol. IV - Eric VoegelinEste volume da História das Ideias Políticas será considerado especialmente relevante pelos leitores interessados na crítica voegeliniana às ideologias políticas modernas. Nele, Voegelin analisa o colapso da unidade da Cristandade imperial, que levou à ascensão da razão autônoma e das revoltas sectárias, tendências que chegaram ao pleno desenvolvimento nos séculos XIX e XX. Voegelin identifica na Renascença e na Reforma o início dos movimentos em direção à consciência política moderna. Maquiavel, Erasmo e More são estudados na seção dedicada à Renascença. Em seguida, numa espécie de transição entre a Renascença e a Reforma, o autor aborda o movimento sectário e expõe o contexto histórico em que se encontram as fontes de seu pensamento a respeito do gnosticismo e de suas influências modernas. O capítulo final é, no parecer dos prefaciadores, uma análise muito dura, às vezes hostil, de Lutero e Calvino. Por sua abrangência, profundidade e contundência, esta obra certamente enriquecerá a reflexão acerca das relações entre política e religião, despertando o interesse de filósofos, sociólogos e teólogos de todos os matizes e confissões.

Sobre o autor

Um dos pensadores mais originais do século XX, Eric Voegelin, alemão radicado nos Estados Unidos, foi orientado em sua dissertação por Hans Kelsen na Universidade de Viena. Tornou-se professor na mesma instituição, sendo demitido pelos nazistas após a anexação da Áustria à Alemanha. Lecionou também em Harvard, Stanford e Munique, mas foi na Universidade do Estado da Louisiana que passou a maior parte de sua carreira. Sua obra passa pelos campos da ciência política, filosofia política, filosofia da história, história das ideias e filosofia da consciência. Foi um escritor prolífico. Grande crítico de Karl Marx e dos movimentos revolucionários, exerceu influência sobre Leo Strauss e Russell Kirk.

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *