O Trivium Clássico – O lugar de Thomas Nashe no ensino de seu tempo – Marshall McLuhan

O Trivium Clássico - O lugar de Thomas Nashe no ensino de seu tempo - Marshall McLuhanNesta obra inédita, um jovem McLuhan, como historiador cultural, ilumina as complexidades do trivium clássico, fornece a primeira leitura atenta do enigmático escritor elisabetano Thomas Nashe e desafia implicitamente o leitor a aceitar um novo projeto para a educação literária. As ideias que serviriam de base para a análise da mídia de McLuhan nas décadas de 1960 e 70 estão em embrião, já que ele expõe em detalhes escrupulosos o papel da gramática (interpretação), dialética e retórica na aprendizagem clássica.

Sob o microscópio acadêmico de McLuhan, a dinâmica interna do trivium e seu propósito são revelados. Ao percorrer a literatura de Cícero ao século XVI, McLuhan descobre a fonte e o significado de múltiplas tradições nos escritos de Nashe. Aqui, mais de meio século depois de ter sido escrito, é uma estrutura nova, perspicaz e ricamente coerente para estudar Nashe e um apelo inequívoco para um programa de educação baseado no ideal ambicioso e elevado de reintegrar o trivium clássico.

Sobre o autor

Talvez o mais importante teórico da comunicação desde o advento da tecnologia computacional, o canadense Marshall McLuhan cunhou o termo “aldeia global”, vislumbrou o surgimento da internet com quase trinta anos de antecedência e pronunciou a célebre máxima “o meio é a mensagem”. Foi mestre em literatura inglesa e doutor em filosofia pela Universidade de Cambridge, com uma tese sobre o escritor inglês Thomas Nashe. Teve aulas com Étienne Gilson e, por influência da obra de G. K. Chesterton, converteu-se ao catolicismo. Também prestou consultoria para empresas como IBM e AT&T. Enquanto lecionava na Universidade de Toronto, sofreu um derrame – em decorrência do qual, um ano depois, viria a falecer –, ao que a instituição respondeu tentando encerrar as atividades de seu centro de pesquisas. Entre os que protestaram contra a tentativa, estava Woody Allen, que em 1977 dirigira um filme com a participação de McLuhan: Noivo Neurótico, Noiva Nervosa.

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *