Melhores Crônicas – Gustavo Corção

Melhores Crônicas - Gustavo CorçãoNeste volume estão reunidas as crônicas de vários Gustavos: o memorialista, o observador das coisas miúdas do dia a dia, o polemista e o escritor de temas religiosos. Em cada uma escuta-se o eco de uma mensagem que diz que este mundo não foi feito apenas para a diversão. Porém, se escuta também seu coração de menino, repleto de bondade.

“Gustavo Corção é realmente uma criatura privilegiada de Deus. De longe, a gente o admira, o aplaude, o respeita. Mas, de perto, sem que diminuam a admiração, a quase reverência, a gente descobre e sente que, acima de tudo, o ama – irmão surgido de repente, como um prêmio imerecido e caro.”

– Rachel de Queiroz

“Os seus piores inimigos sabem, e não teriam o cinismo de negar, que Gustavo Corção é uma das inteligências mais sérias do Brasil. Bate forte, muitas vezes. Mas sempre por amor. Está fatalmente ao lado da pessoa, e contra a antipessoa. É a luta que o apaixona. Eis o que eu repeti para o meu amigo das esquerdas: o Corção tem um coração atormentado e puro de menino.”

– Nelson Rodrigues

Sobre o autor

Gustavo Corção (Rio de Janeiro, 17 de dezembro de 1896 – Rio de Janeiro, 6 de julho de 1978) foi um escritor, engenheiro, ensaísta e jornalista católico brasileiro, autor de diversos livros sobre política e conduta, além de um romance. Foi membro da antiga União Democrática Nacional (UDN) e um expoente do pensamento conservador no Brasil. Escreveu para diversos jornais, como Tribuna da Imprensa, Diário de Notícias e O Estado de S. Paulo. Seu único livro de ficção, Lições de abismo, é considerado uma das obras-primas da literatura brasileira, premiado pela UNESCO. Como escritor, Corção foi amplamente admirado e elogiado por nomes como Antonio Olinto, Raquel de Queiroz, Ariano Suassuna, Gilberto Freyre, Nelson Rodrigues e Manuel Bandeira.

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *