Libido Dominandi – E. Michael Jones

Libido Dominandi - E. Michael JonesLibido Dominandi – Libertação sexual e controle político

Em Libido Dominandi, E. Michael Jones não reconta a versão comum da revolução sexual, mas demonstra como essa subversão funcionou, desde o germe, como um mecanismo de controle social.  Assim que conseguiram o que pretendiam, aqueles que desejavam libertar o homem da ordem moral tiveram de impor novas formas de controle social às pessoas, porque a libido, quando libertada, conduz inevitavelmente à anarquia. Ao longo de duzentos anos, essas novas formas de controle social tornaram-se mais e mais refinadas, resultando num mundo em que as pessoas são controladas não por forças militares, mas pelo manejo sutil e habilidoso de suas paixões.

O livro expõe o modo como a retórica da liberdade sexual foi usada para fabricar um sistema de controle político e social. Um sistema cujas tecnologias de comunicação, reprodução e controle corporal — no que se inclui a psicoterapia, o behaviorismo, a propaganda e a pornografia — se desenvolveram ao ponto de permitir que os herdeiros do iluminismo, em nome da liberdade, transformassem os vícios dos homens em seus piores algozes.

Libido Dominandi é a dolorosa história de como tudo isso aconteceu.

Sobre o autor

Eugene Michael Jones (1948–) é um escritor americano, professor aposentado, comentador midiático e atual editor da revista Culture Wars. É conhecido por suas publicações a respeito do declínio da cultura católica nos EUA a partir da segunda metade do século XX e sua assimilação pela cultura americana de massa. Escreveu prolificamente sobre a revolução sexual, a história da Igreja, os judeus, o poder financeiro e a modernidade. Dentre seus muitos livros, constam os mais conhecidos Degenerate Moderns: Modernity as Rationalized Sexual Misbehavior, e sua sequência Dionysos Rising: The Birth of Cultural Revolution out of the Spirit of Music, bem como The Jewish Revolutionary Spirit and Its Impact on World History.

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *