Ciência Estética Metafísica – Crônicas filosóficas – Louis Lavelle

“Os progressos da ciência sempre foram espreitados pela reflexão filosófica”, escreve Louis Lavelle em um capítulo intitulado “De Demócrito a Louis de Broglie”. Essa vigilância do filósofo aparece nas três partes deste livro, em que são analisadas grandes obras, consagradas desde então, e nas quais a reflexão filosófica é exercida de maneira dinâmica e durável em relação a grandes movimentos científicos, estéticos e metafísicos. Essas “Crônicas Filosóficas” trazem, não somente para o filósofo, mas também para todos aqueles que se interessam pelos grandes problemas da arte, da ciência e do pensamento, uma matéria de intensa meditação.

Sobre o autor

Chamado por A.-D. Sertillanges “o Platão dos nossos dias”, Louis Lavelle foi professor do Collège de France e integrante da Academia de Ciências Morais e Políticas. Nascido na mesma região em que Michel de Montaigne e Maine de Biran, foi permanentemente influenciado por eles. Escreveu o que se tornaria a sua tese de doutorado em algumas cadernetas que comprou na cantina do campo de Giessen, onde passou os últimos anos da Primeira Guerra Mundial. Fundou, com seu amigo René Le Senne, a chamada filosofia do espírito. Lavelle influenciou decisivamente pensadores como Pierre Hadot, Alfonso López Quintás, Vicente Ferreira da Silva, Alfredo Bosi, Tarcísio Padilha, Étienne Borne e Paul Ricoeur.

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *