Ave Maria Expositio – Tomás de Aquino

Ave Maria Expositio - Tomás de AquinoSanto Tomás entendia o ministério da Palavra como um natural prolongamento do ensino. “A ênfase dada à pregação popular originou e fomentou uma rica literatura totalmente voltada para o melhoramento dos sermões. Codificando o chamado ‘sermão moderno’, as Artes Praedicandi atestam a importância dada ao assunto. Este breve sermão, In Salutationem Angelicam vulgo Ave Maria Expositio (expositio, explicação literal ou comentário, melhor traduzido, Comentário à Ave Maria) segue os moldes da exegese dialética de seu tempo, dividindo a Saudação Angélica em três partes: a primeira, feita pelo Anjo, a segunda, por Isabel, mãe de João Batista, a terceira, acrescentada pela Igreja: ‘Maria’, pois o Anjo dissera ‘Ave, cheia de graça’.” Expõe-se assim as principais verdades da religião cristã sobre a Mãe de Jesus.

Sobre o autor

Nascido em uma família de nobres, Tomás de Aquino fez os primeiros estudos no castelo de Monte Cassino. Em Nápoles, para onde foi em 1239, estudou artes liberais, ingressando, em seguida, na Ordem dos Dominicanos, em 1244. De Nápoles, a caminho de Paris, em companhia do Geral da ordem, foi seqüestrado por seus irmãos, inconformados com seu ingresso no convento. No ano seguinte, fiel à sua vocação religiosa, viajou a Paris, onde se tornou discípulo de Alberto Magno, acompanhando-o a Colônia. Em 1252, voltou a Paris, onde se formou em teologia e lecionou durante três anos. Depois de voltar à Itália, foi nomeado professor na cúria pontifical de Roma. Ensina, durante anos, em várias cidades italianas. Uma década depois, retorna a Paris, onde leciona até 1273. A seguir, parte para Nápoles, onde reestrutura o ensino superior. Em 1274, convocado pelo papa Gregório 10º, viaja para participar do Concílio de Lyon. Adoece, contudo, durante a viagem, vindo a falecer no mosteiro cisterciense de Fossanova, aos 49 anos de idade. Chamado de Doutor Angélico e de Príncipe da Escolástica, Tomás de Aquino foi canonizado em 1323 e proclamado doutor da Igreja Católica em 1567.

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *