1492 – Fim da barbárie, começo da civilização na América – Cristian Iturralde

1492 - Fim da barbárie, começo da civilização na América - Cristian IturraldeO historiador Cristián Rodrigo Iturralde apresenta uma nova perspectiva a respeito da chegada dos espanhóis ao Novo Mundo, destacando o esforço civilizatório empreendido diante da realidade selvagem dos nativos. O autor discorre, inicialmente, sobre a situação histórica dos povos indígenas quando da chegada dos europeus; depois, descreve e analisa, com profundo aparato historiográfico para embasar suas conclusões, os aspectos da realidade bárbara dos costumes aborígenes.

“Para aqueles desprevenidos, talvez seja conveniente pô-los em aviso, desde este mesmo instante, que a América pré-hispânica que creem conhecer, não é tal qual. Não busquem neste ensaio uma América abarrotada de ribombantes cores — como sugerem os estandartes indigenistas —, pois não acharão. Aquela fantasia rousseauniana, como chamava Alberto Caturelli o fictício paraíso terrenal que imaginaram alguns historiadores, não existiu jamais”. — Autor

Sobre o autor

Cristián Rodrigo Iturralde (Buenos Aires, Argentina, 4 de junho de 1979) é um historiador e ensaísta revisionista de tendência nacionalista, católica, hispânica e antiperonista. Seus temas de interesse são variados, especialmente suas obras sobre a História da Espanha e da Igreja Católica e seus estudos sobre o peronismo e o “marxismo cultural”. Até o momento, publicou 7 livros, alguns deles traduzidos para outras línguas e apresentados no país e no exterior, com edições na Espanha, México, Colômbia e Brasil (e em breve, nos Estados Unidos). Também tem colaborado em diversas publicações nacionais e internacionais (impressas e digitais), como a Cabildo Magazine, Republican Press, Diario Reconquista, etc.

Entre outras distinções, cabe destacar que é Membro Acadêmico Titular do Instituto Nacional de Pesquisas Históricas Juan Manuel de Rosas (Secretaria de Cultura da Nação, Argentina, 2017); Membro Acadêmico do Instituto Histórico de Santiago de Liniers (Argentina, 2016); com um Reconhecimento da Universidade Autônoma de Guadalajara (UAG: México, 2015) e outro do Estado de Querétaro, México, pelo trabalho intelectual (2019). Em 2016, a Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos adquiriu e incorporou as obras do autor ao seu catálogo.

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *