O Sacrifício – René Girard

O Sacrifício - René GirardNeste livro René Girard indaga a reflexão religiosa mais poderosa sobre o sacrifício, a da Índia védica, reunida nos Brâmanas. Entre as concepções dos brâmanes e a teoria girardiana, há inúmeras coincidências surpreendentes, que não podem ser só fruto do acaso. Com as convergências, sem dúvida, há divergências; porém, longe de contradizer a teoria mimética, elas correspondem ao mínimo de ilusão sem o qual o sacrifício se torna impossível. Para que ele seja possível, primeiramente é preciso crer que a vítima original é responsável pela desordem mimética e, em seguida, através da violência unânime, pela volta à ordem.

Portanto, há aqui um deus, acredita-se, que, depois de ter conduzido mal a comunidade, ficou com pena dela e ensinou-lhe o sacrifício. A reflexão antropológica viu durante muito tempo no sacrifício sangrento uma espécie de enigma que ela procurou resolver, sem sucesso. Passou-se a dizer que o sacrifício em geral, o sacrifício em si, talvez não existisse. A hipótese de uma ilusão conceitual é legítima enquanto hipótese, mas, na segunda metade do século XX, ela endureceu e se tornou um dogma ainda mais intolerante, acreditando ser superior à intolerância ocidental, ao imperialismo do conhecimento.

Sobre o autor

René Girard – Esse imortal da Academia Francesa, chamado por alguns “o Darwin das ciências humanas”, revolucionou os estudos em antropologia, literatura comparada, história das religiões e psicanálise com a sua Teoria Mimética. Suas dezenas de livros articulam e revisitam brilhantemente obras grandes e díspares como as de Lévi-Strauss, Marcel Mauss, Miguel de Cervantes, Dostoiévski, Mircea Eliade, Rudolf Otto, Sigmund Freud, Jacques Lacan e muitos outros. Foi professor da Universidade de Stanford, nos EUA. Faleceu em 2015.

Veja Também

Compartilhe

Comentários

Nenhum Comentário Ainda

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *