O Bode Expiatório – René Girard

O Bode Expiatório - René GirardÉdipo é expulso de Tebas como responsável pela peste que se abate sobre a cidade. A vítima está de acordo com seus carrascos. A infelicidade apareceu porque ele matou seu pai e casou-se com sua mãe. ‘O Bode Expiatório’ supõe sempre a ilusão persecutória. Os carrascos crêem na culpabilidade de suas vítimas; estão convencidos, no momento da aparição da peste negra no século XIV, de que os judeus envenenaram os rios. A caça às bruxas implica que juízes e acusadas crêem na eficácia da bruxaria.

Os evangelhos gravitam ao redor da paixão como todas as mitologias do mundo, mas a vítima rejeita todas as ilusões persecutórias, recusa o ciclo da violência e do sagrado. ‘O Bode Expiatório’ torna-se o cordeiro de Deus. Assim é destruída para sempre a credibilidade da representação mitológica. Permanecemos perseguidores, mas perseguidores vergonhosos. Toda violência doravante revela o que a paixão de Cristo revela: a gênese imbecil dos ídolos sangrentos, de todos os falsos deuses das religiões, das políticas e das ideologias.

Sobre o autor

René Girard – Esse imortal da Academia Francesa, chamado por alguns “o Darwin das ciências humanas”, revolucionou os estudos em antropologia, literatura comparada, história das religiões e psicanálise com a sua Teoria Mimética. Suas dezenas de livros articulam e revisitam brilhantemente obras grandes e díspares como as de Lévi-Strauss, Marcel Mauss, Miguel de Cervantes, Dostoiévski, Mircea Eliade, Rudolf Otto, Sigmund Freud, Jacques Lacan e muitos outros. Foi professor da Universidade de Stanford, nos EUA. Faleceu em 2015.

Veja Também

Compartilhe

Comentários

Nenhum Comentário Ainda

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *