Helena – Machado de Assis

Helena - Machado de AssisHelena representa o auge do romantismo machadiano: publicada primeiramente em formato de folhetim em 1876, esta é a história de um amor proibido. Com a morte do conselheiro Vale, fica-se sabendo que ele tinha uma filha fora do casamento, Helena. Estácio não só aceita essa meia-irmã como nutre profundo carinho por ela. Além de expor um tema chocante como o amor entre irmãos, esta obra evidencia os conflitos entre classes sociais, o desprezo dos que estão no topo pelos que vêm de baixo, além de questões políticas do dia a dia do Segundo Império. Um belo livro da grande obra de Machado de Assis.

Esta nova edição de Helena, o terceiro romance do escritor, tem o objetivo de auxiliar o leitor a penetrar no mundo e a conhecer a mente de Machado de Assis. Revista e cotejada com a edição crítica do Instituto Nacional do Livro estabelecida pela Comissão Machado de Assis, traz, além de notas abundantes e de fácil compreensão, um farto material que possibilita um melhor entendimento sobre o autor e sua obra: uma biografia, uma cronologia, um panorama cultural do Rio de Janeiro e um mapa da época.

Sobre o autor

Joaquim Maria Machado de Assis (1839 – 1908), foi um escritor e poeta brasileiro, e também o pioneiro como cronista. Foi o fundador da Academia Brasileira de Letras e é famoso por muitos de seus livros, como Memórias Póstumas de Brás Cubas, Dom Casmurro, Quincas Borba e O Alienista. Com 16 anos, Machado de Assis publicou seu primeiro trabalho literário, o poema “Ela”, na revista Marmota Fluminense, e apenas um ano depois consegue seu primeiro emprego como aprendiz de tipógrafo na Imprensa Nacional. É lá que conhece quem se tornaria seu protetor, Manuel Antônio de Almeida, autor da obra Memórias de um Sargento de Milícias.

No ano de 1860, a convite de Quintino Bocaiúva, Machado de Assis passou a fazer parte da redação do jornal Diário do Rio de Janeiro, além de escrever para as revistas O Espelho, A Semana Ilustrada e Jornal das Famílias. Um ano depois, publicou seu primeiro livro, chamado “Queda que as mulheres têm para os tolos”. No dia 28 de janeiro de 1897, Machado de Assis e o escritor José Veríssimo fundaram a Academia Brasileira de Letras e Machado de Assis foi eleito presidente da instituição, cargo que ocupou até sua morte.

Machado de Assis escreveu mais de 50 obras, entre romances, coletâneas de poesias, contos, mas ficará sempre imortalizado por obras como Quincas Borba, Memórias Póstumas de Brás Cubas, Dom Casmurro e O Alienista.

Veja Também

Compartilhe

Comentários

Nenhum Comentário Ainda

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *